Articulando

Articulando

Horto de Damasco

Neste blog, estaremos disponibilizando semanalmente artigos espíritas.

NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA

ArtigosPosted by Horto de Damasco Sun, February 18, 2018 09:12:45

Por Flávio Mendonça (membro da equipe do Horto de Damasco)


NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA

Essa máxima ensinada pelo Cristo não é novidade para nenhum de nós. Mas a questão que devemos refletir é se a compreendemos o suficiente para praticá-la. No geral ela está associada a nossa vaidade, a essa necessidade de ser reconhecido pelos atos que realizamos. Aliás, atos bons, que nos fazem destacados positivamente no meio social, pois, os negativos, geralmente, não os assumimos e até os escondemos, rara algumas poucas exceções.

A sugestão do Cristo é que deixemos esse personalismo devorador que nos faz mais vaidosos, orgulhos e egoístas. O exercício de realizar a tarefa no bem sem que os holofotes nos destaquem, é favorável as nossas necessidades espirituais, as novas conquistas do espírito, se não vejamos: quem dá sem interesse, ou seja, quem já conquistou a condição de não se destacar já tem no ato em si a recompensa da paz interior, ou seja, é feliz pela condição espiritual, e não por parecer virtuoso para o meio em que vive.

Complementando essa máxima, Jesus diz: “o galardão já foi dado àquele que se fez destacado”. Ou seja, a recompensa foi o elogio, a aparência de virtuoso, o reconhecimento público que permitirá novas ascensões sociais, etc. Já ao que faz por condição natural (não mostrando o ato para se destacar), esse já o faz por ter atingido um nível de consciência que o deixa feliz, por estar cumprindo sua responsabilidade.

Portanto, esse sábio ensinamento não se limita apenas a nos fazer “bonzinhos” perante Deus, mas sim conquistar uma etapa superior na escala de valores. Não tocar a trombeta quando fazemos o bem significa ter elevado nossa consciência, nossa condição espiritual. Pessoas espiritualizadas realizam tarefas por terem consciência de suas responsabilidades. São pessoas que doam porque tem em excesso. Já aqueles que fazem para chamar a atenção são pobres de valores espirituais, pois, mostram que ainda precisam receber ao invés de dar.

A ideia é relativamente simples: Sendo Deus provedor de tudo, Ele só doa. Aquele que doa sem pensar em recompensas, está muito mais perto de Deus, e portanto, numa condição espiritual e moral superior. Como o objetivo é o progresso e a plenitude, essa máxima sugere um constante exercício de melhoramento espiritual. Logo, é uma orientação, um roteiro para a felicidade de quem a prática. Sejamos gratos a Deus e a Jesus por nos permitir acessar esse roteiro de luz!